Tag

guerra fria

Browsing

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Texto” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

Operação Guerra nas Estrelas é como ficou conhecido o programa do presidente Americano Ronald Reagan para obter vantagem na Guerra Fria contra a URSS. O objetivo do projeto era criar defesas integrando satélites orbitais da Terra, espelhos gigantes com as bases do Pentágono.

Ronald Reagan lançou o projeto estimado em milhões de dólares e muitos anos até sua conclusão. De olho nas ações nucleares da União Soviética, os Estados Unidos buscavam uma vantagem tecnológica em relação aos rivais. Este programa daria a eles a dianteira na Guerra Fria e tornaria os EUA um país mais seguro.

O projeto funcionando, seria capaz de captar os mísseis nucleares e disparar projéteis que fossem capazes de atingi-los em pleno vôo. Portanto, uma arma de defesa importante para fazer com que os soviéticos não tomassem nenhuma iniciativa. O lançamento da Operação Guerra nas Estrelas chamou a atenção dos Soviéticos que lançaram ao espaço um canhão de laser, com os mesmos objetivos do Americano.

Estas armas nunca foram usadas e O canhão Soviético Polyus foi Trazido de volta à Terra e lançado ao fundo do mar. A parte curiosa da história desse sistema de defesa americano é o princípio da utilização de raios laser para atingir projéteis em pleno vôo. Esta arma teria sido concebido por Nikola Tesla no começo do século XX. Tesla teria tentado avançar com seus projetos porém nunca houve interesse do governo americano.

Durante um misterioso incêndio no laboratório de Tesla, muitos de seus desenhos e projetos foram queimados. Após sua morte, todo o acervo de máquinas, equipamentos, anotações, projetos e invenções, misteriosamente, nunca foram encontrados. O governo americano teria recolhido os planos de Tesla e utilizado para criar armas tecnológicas em segredo? E Se For Verdade?

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Texto” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

Logo após a Segunda Guerra Mundial, Estados Unidos e União Soviética, que compunham as forças aliadas, anistiaram os cientistas nazistas para que trouxessem seus estudos e projetos para os dois países. Uma parte dos cientistas aeroespaciais nazistas migrou para os EUA e a outra para a URSS Comunista de Stálin. Isso levaria à famosa Guerra Fria.

Os Estados Unidos não contavam com os fatos que se seguiram. A URSS enviou o criptografo Igor Gouzenco em missão na América do Norte. Gouzenko, que estava em missão secreta da KGB, se apaixona por uma mulher e resolve desertar. Sabendo as consequências de seus atos, ele decide se proteger revelando os verdadeiros propósitos de sua visita.

Entregou a um jornal Canadense diversos documentos reveladores a respeito de sua missão e também dos planos de enriquecimento de Urânio desenvolvidos na União Soviética. A estratégia era trocar as informações por asilo político e garantia de cidadania e proteção.

A notícia da deserção logo tomou as altas cúpulas do Governo e Serviços Secretos Americanos, bem como da Polícia Secreta e do Kremlin Soviético. Quando os Estados Unidos compreenderam que a URSS quebrara um acordo de não agressão e desenvolvimento de armas nucleares, optou por cortar relações com os Soviéticos dando início à Guerra Fria, uma guerra que alavancou o poder de fogo e as pesquisas aeroespaciais das duas maiores potências Mundiais à época.

A Autora Amy Knight publicou um livro chamado “Como Começou a Guerra Fria?”, neste livro ela relata esta história com detalhes e documentos oficiais.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Secured By miniOrange