Logo após a Segunda Guerra Mundial, Estados Unidos e União Soviética, que compunham as forças aliadas, anistiaram os cientistas nazistas para que trouxessem seus estudos e projetos para os dois países. Uma parte dos cientistas aeroespaciais nazistas migrou para os EUA e a outra para a URSS Comunista de Stálin. Isso levaria à famosa Guerra Fria.

Os Estados Unidos não contavam com os fatos que se seguiram. A URSS enviou o criptografo Igor Gouzenco em missão na América do Norte. Gouzenko, que estava em missão secreta da KGB, se apaixona por uma mulher e resolve desertar. Sabendo as consequências de seus atos, ele decide se proteger revelando os verdadeiros propósitos de sua visita.

Entregou a um jornal Canadense diversos documentos reveladores a respeito de sua missão e também dos planos de enriquecimento de Urânio desenvolvidos na União Soviética. A estratégia era trocar as informações por asilo político e garantia de cidadania e proteção.

A notícia da deserção logo tomou as altas cúpulas do Governo e Serviços Secretos Americanos, bem como da Polícia Secreta e do Kremlin Soviético. Quando os Estados Unidos compreenderam que a URSS quebrara um acordo de não agressão e desenvolvimento de armas nucleares, optou por cortar relações com os Soviéticos dando início à Guerra Fria, uma guerra que alavancou o poder de fogo e as pesquisas aeroespaciais das duas maiores potências Mundiais à época.

A Autora Amy Knight publicou um livro chamado “Como Começou a Guerra Fria?”, neste livro ela relata esta história com detalhes e documentos oficiais.