A astronauta francesa Claudie Haigneré, em 1996, teve a oportunidade de visitar a Estação Espacial Mir. Ela fazia parte da equipe francesa que, em conjunto com astronautas russos partiram em missão de pesquisa no Espaço. Em 2001 se tornou a primeira astronauta mulher européia a visitar a Estação Espacial Internacional.

Após suas missões espaciais e uma rápida passagem pela política, Claudie Haigneré se dedicaria a institutos de pesquisa. No período da política acumulou decepções por não conseguir uma valorização e aumento de investimentos governamentais para pesquisas aeroespaciais. A astronauta francesa foi militante ferrenha na tentativa de pesquisar de forma aprofundada os fenômenos que teria visto em suas missões.

O avanço das pesquisa onde Claudie Haigneré trabalhava se tornou o principal alvo das especulações a respeito de sua integridade física. O pioneirismo e vanguarda do laboratório nos estudos a respeito do DNA humano, permitiram à astronauta francesa descobrir uma estreita relação com os Alienígenas. Eles teriam descoberto uma mistura de DNA que poderia provar que os Homems descendiam, também, de Extraterrestres.

O nosso sistema celular e DNA continham provas que os Alienígenas existiam e tinham contatos constantes e profundos com os seres terrestres. Ao descobrir essa relação, Claudie Haigneré estaria sendo pressionada a respeito dos avanços da pesquisa e divulgação das informações.

No auge das pressões a astronauta francesa teria sido internada por uma suposta overdose de soníferos. A tentativa de suicídio era uma forma de se livrar das ameaças, não sem antes deixar o recado de que a “Terra Precisava Ser Alertada”.